Livrarias Catarinense publicarão livros escritos por crianças

O grupo Livrarias Curitiba, do qual fazem parte as lojas das Livrarias Catarinense, lançaram o projeto Meu Primeiro Livro, uma forma de incentivar as crianças a lerem e a desenvolverem a imaginação escrevendo sua primeira obra. A campanha é gratuita e acontecerá nas dez lojas de Santa Catarina até outubro, além das unidades espalhadas no Paraná e em São Paulo.

As crianças que participarem da Hora do Conto, realizada nas lojas todo sábado, receberão uma folha de atividades para relatar ou desenhar o que aprenderam sobre a fábula apresentada na contação de histórias. Quando voltar na próxima Hora do Conto, a criança deve levar a folha de atividades, e ela receberá um carimbo. A cada 8 participações, a criança ganhará um brinde, e com 20 presenças no ano, as páginas vão se transformar em um livro.

Hora do Conto Livraria Catarinense 2
A Hora do Conto acontece todo sábado nas lojas da rede Livrarias Catarinense Fotos: Divulgação/Livrarias Catarinense

Em outubro a Livrarias Curitiba irá recolher o material – que deverá ficar guardado com os pais no decorrer do ano – e enviar para uma gráfica para que seja montado o livro da criança. A obra será entregue gratuitamente à família e ao autor mirim, que poderá lançar oficialmente, em novembro, a sua obra dentro de uma das dez lojas do grupo em Santa Catarina.

Essa é a primeira vez que o Grupo Livrarias Curitiba realiza este projeto. De acordo com o diretor de marketing do Grupo Livrarias Curitiba, Augusto Pedri, um dos grandes desejos é envolver toda a família em torno da leitura, pais e filhos, e dessa forma incentivar a escrita e a leitura. “Ver os pequenos lançando suas obras em outubro será um grande orgulho para todos nós”, diz.

A Hora do Conto acontece todos os sábados em todas as lojas. Confira os horários na Grande Florianópolis:

10h – Livrarias Catarinense no Centro de Florianópolis (Rua Felipe Schmidt, 60)

15h – Livrarias Catarinense no Continente Shopping (em São José)

15h – Livrarias Catarinense no Beiramar Shopping (em Florianópolis)

 

Anúncios

A Barca dos Livros pode sumir

No mês em que completa dez anos, as perspectivas não são nada otimistas para aquela que já foi considerada a Melhor Biblioteca Comunitária do País (Prêmio Vivaleitura 2014, organizado pelo MinC e pelo MEC).  Apesar dessa conquista recente e de outros tantos reconhecimentos pelo incentivo à leitura, a Barca dos Livros passa por sérias dificuldades financeiras e corre o risco de deixar de existir.

barca-dos-livros-logo

Com dois anos de aluguel atrasado e o corte do convênio da prefeitura de Florianópolis em 2015, as contas somam mais de R$ 80 mil. O pagamento era realizado desde 2011 com apoio do Programa de Apoio às Bibliotecas Comunitárias da Fundação Franklin Cascaes. Diversas campanhas para arrecadar esse dinheiro têm sido feitas desde o ano passado, mas com a pouca adesão de novos sócios e a pequena resposta do público ao crowdfunding (uma campanha no Kickante arrecadou 8% do valor previsto), os diretores da Barca dos Livros ainda analisam se será viável manter o projeto. A expectativa é de que a prefeitura se sensibilize até a próxima assembleia dos sócios e diretores da Barca, em março, quando a equipe deve decidir sobre o futuro da biblioteca comunitária.

Trajetória

A Barca dos Livros tem uma história linda, e que não deveria ser apagada. Lançamentos de livros, exposições de arte, saraus literários, oficinas de escrita criativa, sessões de cinema e contação de histórias são algumas das atividades que ainda acontecem no espaço da Biblioteca Comunitária, localizada no LIC (Lagoa Iate Clube). A Barca dos Livros tem o maior acervo infanto-juvenil de Santa Catarina com 16 mil livros catalogados, e por lá já passaram  mais de 150 mil pessoas, em cerca de 2 mil eventos culturais.

A ideia de criar a Barca surgiu em 2005, quando a Sociedade Amantes da Leitura (criada em 2003) promoveu um passeio de barco na Lagoa da Conceição com contação de histórias e música. Em 2006, o Projeto Barca dos Livros foi aprovado pelo MinC e pôde captar recursos por meio da Lei Rouanet.

escola-vai-a-barca
Fotos: Divulgação/ Barca dos Livros

Entre outros prêmios, a Sociedade Amantes da Leitura (que mantém a Barca) conquistou o 2° lugar entre os Melhores Programas de Incentivo à Leitura junto a Crianças e Jovens de todo o Brasil, no Concurso FNLIJ/Petrobras, em 2006, e recebeu o título de Ação Destaque no Encontro Internacional de Bibliotecas Comunitárias de São Paulo, em 2008.

Mesmo com as dificuldades financeiras, o projeto segue incentivando a leitura. Os tradicionais passeios de barco, como aquele primeiro que inspirou a criação do projeto, ocorrem um sábado por mês e têm duração de uma hora, saindo do Trapiche da Lagoa em dois horários. Além deles, toda semana a Barca dos Livros recebe visitas de escolas no projeto Escola vai à Barca (foto). Neste mês de aniversário também há uma programação diversificada:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os sócios e apoiadores da Barca dos Livros fazem apelo à sociedade e às autoridades para que um dos poucos projetos de incentivo à leitura não acabe. Recentemente uma das chamadas Tripulantes, Tanira Piacentini, publicou uma carta  na tentativa de sensibilizar a comunidade. Você pode ler a carta, em pdf, clicando na imagem abaixo:

carta-barca-dos-livros