Resenha: Vidas que se encontram

Preciso começar essa resenha confessando que raramente leio histórias românticas, principalmente essas modernas, “hot” e etc. Eu não costumo ler esse gênero porque a vida NÃO é como ali, em que tudo dá certo no final (ou não, tipo Nicholas Sparks), e as pessoas movem mundos e fundos pra poderem ficar juntas. Na verdade me dá vontade de cortar os pulsos.

antologia-vidas-que-se-encontramVidas que se encontram é uma antologia com 4 contos românticos, preparado pela editora Essência Literária para celebrar o Dia dos Namorados neste ano. A autora parceira Nana Garces (que publicou Ode de Sangue) foi quem me indicou para receber a antologia digital e poder resenhar pra vocês. Um dos contos é dela: Estoy de acuerdo: um atendimento do destino. Os outros três são Quando aconteceu, da Fê Friederick Jhones (que vocês já conhecem do Ímã de traste); O Amor aconteceu, da Ju Santander; e Traças, da LL Alves (autora da saga Jovens Prodígios).

Acho interessante a ideia de uma edição temática relacionada a uma data comemorativa. Sei que para algumas das autoras pode representar um desafio escrever sobre  um tema que não estão acostumadas. Os contos, coincidentemente, têm protagonistas mulheres  de várias idades e são narrados em primeira pessoa. São mulheres comuns que na correria do cotidiano acabam encontrando o amor de maneira inesperada. E não é assim mesmo que ele acontece?

No entanto, e o que eu sempre detesto em histórias de amor, eles sempre ficam juntos no final, conseguem enfrentar mundos e fundos pra ficar com alguém lá do outro lado do mundo e acabo achando forçado. Ok, pode existir um romance assim, mas é a exceção da exceção.

*EDIT: Só não conheci ainda outros textos da Ju Santander, mas quanto às outras, sei que não escrevem propriamente romances, as temáticas de suas obras fogem bastante desse gênero.*

Vamos aos contos 

Quando Aconteceu — Fê Friederick Jhones

Alicia Medeiros é gerente de um hotel luxuoso em algum lugar do Brasil e conhece um hóspede espanhol, por quem se apaixona. Os dois namoram a distância por um tempo. Não tem nada de mais até aí, o conto é cheio de fofuras, mas as situações são bem plausíveis. Conheço e conheci pessoas que levaram namoros assim intercontinentais e depois foram morar na mesma cidade sem ter que mover montanhas pra isso.

Nota: 7

elizabeth-bennet-lendo-orgulho-preconceito.gif

O Amor Aconteceu — Juliana Santander

Mônica trabalha em uma revista que fará uma edição especial de mês dos namorados, tema que ela detesta. A protagonista é bem avessa a assuntos de amor e esse tipo de coisa é meio clichê, a gente sabe o que vai acontecer. Mas as situações até são bem reais. As cenas são bem construídas. A linguagem é bem jovem e descontraída, condiz com a idade dos personagens. E como será que nossa jovem protagonista vai encontrar o amor nesse caos?

Nota: 8

Estoy de Acuerdo: Um atendimento do destino — Nana Garces

Nana fez uma coisa que achei sensacional: começou falando sobre Platão e a lenda grega para a existência das almas gêmeas. Anna é médica e tem um encontro peculiar durante um dia cheio de trabalho. Ela se apaixona por um paciente que está em coma – e até ela mesma pensa que aquilo é LOUCURA! Lá pelas tantas ela tem um sonho erótico, e gente, que descrição maravilhosa! Desde a pegação até a hora em que ela acorda, eu até ri, de tão realista. Mas quem será esse paciente misterioso?

Nota: 8 – achei meio esquisito ela “assediar” o paciente 😦

Traças — L L Alves

Clarice é uma adolescente controlada pelos pais que só vê escapatória quando frequenta escondida um sebo. Ela é apaixonada por livros (quem não é?) mas não pode levar quem chama de “seus amigos” para casa. As coisas acontecem um pouco rápido demais nesse conto, até fiquei com a sensação de que tinha pulado uma página ou duas.

Nota: 7

Ficha
Título: Antologia Vidas que se encontram – 
L.L. Alves, Fê Friederick Jhones,
Juliana Santander e Nana Garces
Editora: Essência Literária
Ano: 2016
64 páginas

Nota: 7,5

Lançada segunda edição de Ímã de Traste

A escritora Fernanda Friederick Jhones acabou de lançar a segunda edição de seu livro de estreia, Ímã de traste. O chick lit conta a história de Valerie, uma personagem que acredita no amor, mas vive escolhendo os caras errados para se relacionar quem nunca, né? Tanto que seus amigos a apelidaram de ímã de traste sem ela saber. Quando o último namorado de Valerie lhe dá um é na bunda, ela acha que precisa repensar suas escolhas.

ima-de-traste-fernanda-friedrickO livro está sendo relançado de forma independente pela própria Fê Friederick em formato digital e deve ganhar uma versão física no começo do ano que vem pela editora Essência Literária. A nova edição term um conto como bônus aos leitores. Fernanda conta que a inspiração para a personagem Valerie surgiu de uma conversa com uma colega de trabalho, a quem Fernanda chamou de “ímã de traste”, e  a colega replicou que a história daria um livro.

Fernanda começou a escrever a história de Valerie no wattpad por brincadeira, e a história foi mais longe do que ela imaginava. “Escrever é sempre divertido, eu gosto de embarcar na história e não paro de pensar até concluir. E a publicação é o tipo de sonho que demora a cair a ficha! Toda vez que pego meu livro ainda sinto uma emoção diferente”, diz a autora.

Além desse, ela tem outros dois e-books já publicados na Amazon: Venenosa e Três Verões. Um de seus contos está na antologia Vidas que se encontram, da Essência Literária, a qual logo será resenhada aqui no blog.

Fernanda Friederick é natural de Salvador e reside em Recife. Ela se diz romântica incurável e sempre chora com um belo drama. “Juntando tudo isso deu em: uma psicóloga escritora que coloca no papel histórias de amor”.

 

 

Poetas Livres divulgam resultados dos concursos de poesia

medalha poetas livresO Grupo de Poetas Livres divulgou os premiados nos concursos de poesia Júlio de Queiroz (tema livre, concurso 12) e Sueli Bittencourt (tema paz, concurso 11). Ao todo, foram recebidos 175 poemas on line, de 33 internautas com 66 poemas no 11º concurso, e de 46 internautas com 109 poesias na edição 12. A cerimônia de premiação será no dia 24 de novembro, na Biblioteca Municipal Prof. Francisco Barreiros Filho, no Estreito, Em Florianópolis.

Participaram autores de 34 cidades do Brasil, dos estados de Santa Catarina São Paulo, Paraná, Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio Grande do Sul,  e até do exterior, enviando trabalhos de Saitama (Japão) e New Jersey (EUA). Os vencedores irão receber troféu de classificação e certificado. Os participantes que não foram contemplados receberão online um Certificado de Participação individual.

O destaque foi a participação de cinco alunos de São Paulo, da Escola Prof. Maria Petrolina L. M. Martins, inscritos por sua professora Adenilza Almeida Lira. Os estudantes, que têm entre 11 e 14 anos, receberão certificado de Participação Especial. Todos os poemas estão disponíveis no site dos Poetas Livres.

Resultados

11º Concurso Sueli Bittencourt de Poesias – Tema Paz

1º LUGAR – André Luiz Soares, de Vila Velha – “Alma de Poesia”
2º LUGAR – Shaiane S. Bandeira, de Florianópolis – “Paz”
3º LUGAR – Edweine Loureiro da Silva, de Saitama, Japão -“Oração”

MENÇÃO HONROSA: Moacir Luis Araldi, de Passo Fundo – “Faça de sua vida”
REFERÊNCIA ESPECIAL: Mario Tessari, de Jaguaruna – “Paz Refugiada”

 

12º Concurso Júlio de Queiroz de Poesias – Tema Livre

1º LUGAR – Marcelo Augusto Araujo de Oliveira, de São Paulo – “Poesia gritada às paredes”.
2º LUGAR – Denivaldo Piaia, de Campinas – “Colo de Mãe”
3º LUGAR – José Roberto Canôas, de Barretos – “Caminhos”
PARTICIPAÇÃO ESPECIAL
Salete Cecília Delagnelo Medeiros, de Florianópolis -“Sonhos”.