Grupo de Poetas Livres

Eles têm poemas nos ônibus urbanos, estampados em sacos de pão de duas padarias do continente, gravados em bancos de praças nos bairros de Itaguaçu e Bom Abrigo, reunidos em livros (antologias poéticas anuais) e na revista semestral Ventos do Sul. Esses são apenas cinco dos 16 projetos para divulgar o trabalho do Grupo de Poetas Livres (GPL), que existe desde 1998 e se reúne uma vez por semana na Biblioteca Municipal Professor Barreiros Filho, no Bairro Estreito, Florianópolis, às quintas-feiras, das 17h às 19h.

poetas livres

São cerca de 40 associados no Grupo, entre pessoas que o frequentam presencialmente e sócios correspondentes, mas já passaram mais de 300 poetas nos 18 anos de existência. Para realizar seus projetos, o GPL utiliza recursos próprios, que são obtidos através da cobrança de uma mensalidade dos associados.

Para publicar um poema na revista, o poeta deve ter presença nas reuniões dos Poetas Livres há pelo menos um ano. Antes de 2009 (ano do regimento em vigor), esse tempo mínimo era de apenas três meses. Heralda Victor, vice-presidente do GPL, conta que ele foi aumentado porque os poemas eram publicados e as pessoas paravam de frequentar o grupo.

Membros

Maristella Giassi conheceu o Grupo de Poetas Livres por meio do Poesia na Praça (leia abaixo), e participa há dois anos. Para ela, a experiência de ir às reuniões, declamar poemas e ser aplaudida por todos “continua sendo incrí­vel e também terapêutica. Aqui encontramos espaço para falar de nós e escutar a todos, mas o que nunca sabemos se o que escutamos são fantasias, mensagens ou realidades. Sabemos somente que são poemas.”

Outra participante do GPL, Dona Maria Pereira se alfabetizou aos 66 anos, mas já fazia poesia falada. Ela conta que tinha receio de ir às reuniões dos Poetas Livres e se perguntava o que iria fazer lá, entre pessoas letradas. Depois de muitos convites insistentes da amiga Maurília Freitas, que já frequentava as reuniões do grupo, acabou aceitando e já faz parte do GPL há 11 anos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Maura Soares, presidente do GPL, conta que o grupo está aberto a pessoas de todas as idades: tanto Dona Maria, que tem 87 anos, quanto a membros mais novos, a partir de dez anos. Um exemplo é Alan Bernardes, que entrou no grupo quando tinha essa idade e permaneceu sete anos. Desde 2011 dá palestras para alunos em escolas sobre o trabalho realizado com os Poetas Livres, a fim de incentivar as crianças a participarem.

Muitos dos participantes do grupo são também membros de academias de letras, como Heralda Victor, da Academia Catarinense de Letras e Artes e da Academia Desterrense de Letras, e Celso de Souza, das academias de Governador Celso Ramos e de São Pedro de Alcântara. Dessa forma, é possí­vel fazer interação com outros grupos literários, a partir de convites para painéis, saraus e lançamentos de livros. Neusita Luz, que também faz parte das academias de letras de Governador Celso Ramos e Biguaçu, diz que, ao contrário desses espaços, o GPL acolhe todos, independendo de número de vagas e dos participantes terem ou não alguma obra publicada, bastando gostar de poesia e de escrever.

Poesia na praça e descaso

A ideia de gravar trechos de poemas de autores catarinenses em encostos de bancos nas praias de Itaguaçu, Bom Abrigo, Palmeiras e Balneário Estreito, surgiu em 2000, durante a revitalização desses locais. Entre 2000 e 2004, 128 bancos foram marcados a fogo (pirografia) com versos de poetas já falecidos ou ainda vivos.

divulgação poetas livres

Por causa do tamanho do espaço, só era possível gravar quatro versos, que tinham de fazer sentido para quem os lesse. Foram feitas pesquisas e até mesmo concursos dentro do grupo para elaboração das estrofes.

Devido à  exposição ao tempo e à  falta de manutenção dos locais pela prefeitura, os bancos se deterioraram. No Bom Abrigo, em 2010, a associação do bairro pintou os bancos, e os poemas foram cobertos pela tinta. Maura Soares lamenta sobre o fim do Poesia na Praça: “este projeto morreu, mataram duas vezes os nossos poetas catarinenses”. Por causa da dificuldade de realização, principalmente em relação à  pesquisa, e da falta de conservação, os Poetas Livres abandonaram este projeto. Enquanto isso, outras iniciativas continuam a dar certo, como o Viajando com Poesia, cujos versos estão nas janelas dos ônibus urbanos, que já está na 26ª edição.

*UPDATE: Em dezembro de 2015 o Grupo de Poetas Livres lançou sua 8ª Antologia, e a revista Ventos do Sul vai para seu 46° número. Você pode acessar as revistas neste link.

O GPL também criou um novo projeto interno, chamado O Escritor e sua Obra, no qual membros do grupo ou escritores convidados apresentam suas obras. Segundo a ex-presidente Maura Soares, o grupo chegou a participar da Feira do Livro, pois há membros com livros para expor, além das antologias do GPL.

O projeto Viajando com Poesia não existe mais, e os bancos do Poesia na Praça estão deteriorados. A atual presidente do GPL é Eloah Westphalen.

Esta reportagem foi escrita em abril de 2012 e publicada no site do Projeto de Extensão Cotidiano UFSC. Texto e fotos de minha autoria. 

Anúncios

3 comentários em “Grupo de Poetas Livres

  1. Tributo a Beleza Feminina!
    De repente abri meus olhos e uma luminosidade me segou..
    Recomposto do impacto, passei a ver uma beleza rara, um espécime de ser, ao qual meus meros olhos plebeus, jamais tivera a honra de ver, embasbacado perguntei-me: Que gênero é esse que faz os olhos fitar? E que quando veem, as pálpebras recusam-se a fechar? E se o fazem, impõe a consciência tamanha culpa por perder um segundo só de tanta beleza!
    Soubera eu, que na tabela periódica existe sim um grupo único, mas mulher? Será possível? Esmeraldas ao invés de olhos, corpo milimetricamente desenhado, como se pintado fosse, por alguém extraterreno, lábios tão doces que a nenhum manjar se compara… E a ousadia de exalar um perfume estonteante que escraviza e faz prostrar a quem por ele é inebriado… Terá vindo do céu? E pretende arrebatar meu coração e sentimentos? E porque não a minha alma!…
    Pobre de mim! Que já não como, pois é ela meu alimento, já não durmo, pois são dela os meu sonhos, já não respiro pois seu odor é o meu ar …

    LMC

    Luiz Marcelo Camargo

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s